Contador de visitas

“O meu Deus, segundo a Sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades” Filipenses 4:19

gallery/img_2161
gallery/img_2161

SAGA DO PRIMEIRO CARRO

Estávamos no sul de Minas, morando por seis meses numa chácara no município de Jacutinga-MG. Havíamos saído da aldeia Zo’é e aguardávamos da Missão uma definição do futuro local de trabalho, não demorou muitos dias até que a Missão nos telefonou avisando que deveríamos ir para Macapá-AP, substituir o casal Lima na Tribo Wayãmpi.

Um dos alunos que estudava no seminário ao lado desta chácara, veio até mim e queria saber se eu sabia dirigir, se tinha CNH, perguntei o porquê das perguntas ele e a esposa estavam sentindo o desejo de nos dar uma oferta para a compra do nosso primeiro carro, será ideal para vocês viajarem. Ele viu que sempre que precisamos ir para a cidade cerca de 5 km dali, para fazermos compras ou íamos a pé ou ficávamos na estrada esperando uma carona. Agradeci muito o interesse daquele irmão, mas o que me preocupava não era ter o carro e sim como manter o carro. Nosso sustento era o que Deus prometeu, se tive o que comer e o que vestir se alegre.

Carro é bom e necessário, mas como sustentá-lo? Filhos diziam: “Pai se Deus der o carro, ele vai sustentar este carro, ele não vai dar algo que será um estorvo nas nossas vidas” A fé deles era bem maior que a minha. Na verdade tanto eles quanto a Fofa sempre tiveram uma fé mais possante, que a minha.

O irmão nos ofertou com R$500,00 e disse que assim que achássemos um carro ele tiraria o dinheiro do Banco. Foi uma grande alegria para a Família Ferreira oramos agradecendo e pedimos que Ele mostrasse O CARRO e que coubesse no orçamento. Passado alguns dias, fui até a cidade de Mogi-guaçu-SP cidade onde há muitas revendedoras de carros e finais de semana tem os feirões de carros usados. Lugar bastante movimentado neste ramo. Depois de algumas pesquisas foi pra lá que me disseram para ir

Não procurava por modelo ou por marca, procurava um de R$500,00, então o carro que fosse neste preço seria o que Deus queria nos dar, achei apenas fusca, fusca eu já conhecia, meus pais tinham um e rodamos o Brasil, mas não tem espaço nem pra uma mala, quanto mais pra uma mudança com três filhos e atravessar o Brasil. Andando mais um pouco encontrei um Fiat-147, ano 77 azul claro, pintura casca de laranja, pneus meia vida um até estava com o arame de fora, bancos não muito bons, mas o motor parecia perfeito, sem vazamento e gostei dele, mas só tinha R$500,00 onde iria conseguir os R$200,00?

Liguei o carro para dar uma volta mas algo batia dentro do motor tratatatata, tratatata, rodei um pouco e vi uma oficina mecânica e encostei e perguntei se o mecânico me emprestava uma chave, tirei a tampa do cabeçote e vi que o encosto do mancal do eixo de comando das válvulas estava quebrado, este era o motivo do barulho. Coloquei a tampa de volta, voltei ao vendedor deixei o carro e falei que queria ficar com o carro e pechinchei para ver se ele dava um desconto devido ao barulho, mas não teve jeito. Retornei para casa.

Na manhã seguinte o irmão doador foi em casa e queria saber se havia encontrado o carro, falei que por R$500,00 tinha achado fusca e decidi esperar mais um tempo, continuar procurando e orando até aparecer um carro maior e dentro do orçamento. Ele disse, conversei com a minha esposa e o motivo de ter vindo aqui é para dizer que decidimos dar mais R$200,00 para lhe ajudar na compra de um carro, estremeci e não acreditei, exatamente o que faltava para comprar o Fiat 147 azul, Deus tinha no coração dele determinado que aquele carro era o nosso. Não creio em coincidência, creio na providência de Deus. Compartilhei com ele que tinha visto um por R$700,00 e que tinha gostado apesar do "probleminha".

Alegria, emoção e lágrimas, naquela noite a qual foi longa. Final de semana chegou e na segunda combinei de ir ao banco com ele para pegar o dinheiro e do banco eu retornaria a Mogi guaçu-SP buscar o carro, cerca de 80 km de distancia.
Muito ansioso para que a segunda chegasse logo, ansioso para mostrar O carro para os meus filhos. Chega de ônibus. Creio que vocês já encararam assim como nós quatro dias dentro de um ônibus, com três filhos, fedor de cachaça, cigarro, peido, vomito, choradeira de crianças, ronco, banheiro fedido e entupido. Ônibus parando nos locais acordados, tudo muito caro. Nunca mais meus filhos, nunca mais vocês irão sofrer. Deus nos deu um carro.

Finalmente a segunda feira chegou e logo cedo o irmão foi em casa e disse: Meu irmão você nem imagina o que aconteceu, os funcionários da Caixa Econômica entraram em greve a partir de hoje por tempo indeterminado, não tenho como sacar o dinheiro, naquele tempo não havia os Caixas 24 horas. Liga para o vendedor segurar o carro e explique a situação para ele. Liguei e o vendedor disse: infelizmente não posso guardar, se você tivesse me dado uma caução no valor de 50% eu quebraria o teu galho, mas não posso, se amanhã alguém aparecer para comprar eu vendo, e por sinal é um carro muito procurado, de dois a três compradores diariamente olham o carro. Agradeci e disse que iria orar ao meu Deus para Ele escondesse aquele carro. Ele disse; Boa sorte.

Você está tendo agora quase o mesmo sentimento que eu tive naquele dia. Sonho frustrado, o jeito era esperar e se for mesmo aquele carro que Deus tem para nós Ele vai guardar. Vinte e dois dias se passaram finalmente funcionários voltaram ao trabalho. Liguei para o vendedor e perguntei se o carro estava disponível e ele disse, incrível, não dá para acreditar, mas desde aquele dia que você me ligou dizendo que ia orar nunca mais ninguém se interessou pelo carro, pode vir que estarei te aguardando e já vou adiantar a documentação.

Peguei o dinheiro e fui buscar o carro, após cinco minutos que eu estava sentado conversando sobre as maravilhas de Deus com aquele senhor, ele achou incrível Deus esconder o carro, chegou alguém e disse, hoje eu vim buscar aquele 147 azul, vendedor respondeu este senhor chegou cinco minutos antes que você então ele tem a preferência. Deus mais uma vez se importando com o nosso sonho.