Contador de visitas

E disse: Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus, e fizeres o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito; porque eu sou o Senhor que te sara. Êxodo 15:26

gallery/img_2161
gallery/img_2161

A avó disse: " A ORAÇÃO É A NOSSA ÚLTIMA ESPERANÇA"

 

Estava na região do Lago Grande, às margens do Rio Amazonas. Com o passar dos meses de convívio nesta comunidade a confiança do povo foi se estabelecendo, comunidade com muitas pessoas carentes, alguns morando em Tapiri (Barraco de palha) visitei famílias em que a mãe dormia com os cinco filhos na mesma rede porque não tinha outra, seu armário na maioria das vezes só um pacotinho com pouco sal, fogão à lenha ficava muitas vezes, até três dias sem acender, não tinham o que cozinhar, vida sofrida e para alguém como eu que tenho o "dom" da misericórdia era doloroso, não sei quantas vezes retornei para casa só com a roupa do corpo, deixando rede e tudo mais.

 

Neste dia estávamos visitando as casas mais afastadas na vila e já passavam das duas da tarde quando passei por um senhor que vendia peixes, comprei oito aracus (piau) e passando próximo a uma casa vi o fogão a lenha aceso e ali me acheguei e perguntei se eles podiam assar aquele peixe para comermos juntos, eu estava faminto e para aquela família aqueles peixes caíram do céu, é assim que conquista corações, bebendo a mesma água, comendo a mesma comida, andando junto deles, indo pra roça, indo pescar, assim é que seremos conhecidos para que então a nossa palavra seja acreditada.

 

Após comer aqueles peixes com aquela família retornava para o barco para esticar o esqueleto, o sol estava forte e o calor era intenso. De repente aparece uma jovem de bicicleta pedindo pelo amor de Deus que fossemos até a casa dela, ela disse não é tão perto, mas eu lhe acompanho, deixei o esqueleto para descansar a noite e segui aquela jovem, depois de uma boa caminhada de uns 40 minutos, chegamos na casa dela, a avó estava angustiada e confesso que meu coração partiu ao ver aqueles meninos gêmeos de um ano e nove meses que eram filhos da jovem.

 

Pastor, disse a avó. Pedi que minha filha fosse lhe chamar porque eu quero que o senhor ore pelos meus netos, é a nossa última esperança. Que fé mais incrível daquela vovó. Perguntei o que está havendo com eles, vi que estavam magros; ela disse: foram internados no hospital de Juruti ficaram uns dias lá e não conseguiram controlar a bactéria que os dois tem, de lá transferiram para o hospital de Santarém, lá passaram nove dias internados, médicos decidiram encaminha-los para Belém. Os dois não estavam melhorando, não se alimentavam só o soro os mantinham vivos. Como iriamos a Belém, disse a vó; se não conhecemos nada lá, não temos onde ficar, não temos dinheiro para as passagens, não temos dinheiro nem para comprar o de come, então decidimos trazer os dois para morrer em casa. Duro ouvir isto, não acham?