Contador de visitas

É melhor ter companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho
de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Eclesiastes 4.9

gallery/img_2161
gallery/img_2161

ADEUS AO “SERVO”

 

Servo nome que dei ao nosso 2º carro, um Del Rey ano 84, o qual por 17 anos foi nosso companheiro e nos levou a muitos lugares e há muitos estados desse nosso Brasil. Companheiro que foi uma grande benção nas nossas vidas e que através dele centenas de pessoas conheceram a Jesus. Nunca reclamou e sempre disposto a seguir o desejo do nosso coração.

 

Companheiro de inúmeras viagens até a Base Missionária embrenhada no meio da Floresta Amazônica e foi o primeiro carro que o povo Zo’é conheceu e alguns deles até deram uma volta, sentindo o conforto a rapidez e a felicidade. Mas devido às péssimas estradas que precisávamos percorrer para chegar até lá e cada viagem a estrada piorava, estrada esta que nem merece ser chamada de estrada, estava mais para um ramal ou um caminho. Em cada viagem caminhos novos fazíamos ou por enormes valas que nos obrigavam a parar encher sacos de areia e colocar nas valas para o SERVO passar, ou por enormes árvores que caiam em seu caminho.

 

Tem uma serra chamada a Serra do Tombo. Não tem como ganhar velocidade para subir esta serra, tem enormes pedras, há necessidade de atenção para não danificar o Carter do motor, tração dianteira dificultava um pouco, colocava até correntes nos pneus para ajudar, mas conforme chovia mais as pedras ficavam expostas, de vez em quando íamos lá tentar melhorar, mas não tinha muito o que fazer. Talvez você pergunte por que recebeu o nome de Serra do Tombo, exatamente por esta razão, alguns caminhões já rolaram ribanceira abaixo, várias Toyota Bandeirantes também já tombaram ribanceira abaixo e vi camionetes L200 que quebraram ponte de eixo, diferencial por forçarem tentando subir.

 

Mas é o nosso único caminho e a cada 40 dias nós vamos até a cidade que está cerca de 180 km, mas pelo caminho ser ruim viagem demora de 5 hs a dois dias e algumas vezes tivemos que retornar para casa porque dezenas de árvores caíram ao longo do caminho, numa só viagem após um forte temporal 17 árvores estavam no caminho e a moto serra sempre é companheira de viagem, mas muitas vezes as árvores são tão grandes que é necessário 2 dias de trabalho para cortar uma só árvore.

 

Na última viagem do SERVO, estava conosco na Base missionária cerca de 15 rapazes Zo´é. Um mês antes tinham pedido que na próxima lua levássemos nossos três filhos porque eles queriam vê-los e matar a saudade do tempo de criança, mas só o Filipe pode ir e ficou por 15 dias. Estavam se arrumando para voltarem para a aldeia, desta vez decidiram subir o Rio Cuminapanema e como sempre tiveram um cuidado muito especial conosco e um carinho grande, foram até mim e disseram que estavam indo embora e queriam ajudar a subir o carro naquela ladeira, agradeci a preocupação deles e não podia rejeitar aquela ajuda. Após duas tentativas o carro subiu, nos despedimos e eles se foram.